A linha esquecida

Detalhe de colagem de Mário Pacheco (Foto: Sandro Alves)

A linha do gol nuca foi a linha de meta

Uma curva, um zique ou uma seta

A porta do vizinho não é uma oferta

E certamento você não tem dons de profeta

Proteja-te a ti mesmo

Observe sempre a vida

Pela porta da sala ou pelos fundos

Você pode acabar encontrando saída

Uma blusa, uma luva, uma calça antiga

Os olhos tão longes daquela menina

Uma curva, uma reta, linha perdida

ponto, pronta, ponta esquerda distraída

Paralelas ou setas em grandes avenidas

Os sonhos de suceço

Calças velhas

Canções e poemas paralelos

Meninas perdidas no tempo

Menino esquecido de si

Amor próprio lento.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: